AILTON KRENAK: por um novo tipo de pensamento.

Ailton Krenak

“Eu ouvi uma vez uma afirmação muito interessante: nenhum povo é capaz de interpretar o tempo que vive. A crise é sempre um fenômeno não entendido pelas pessoas que sofrem suas consequências. Muitas das nossas práticas que já estão se transformando antecipam as mudanças para essa piora que vamos viver. A mais óbvia delas é que a gente teve que parar, e não foi voluntariamente. A gente ainda não viu que estamos mudando, e às vezes isso cria muita angústia. Mas se sabemos que muita coisa está mudando, e nós também, a gente já está entrando num campo da evolução”. Ailton Krenak

Um bate papo entre o cineasta Fernando Meirelles e Ailton Krenak, figura atuante desde sempre, e que vem se tornando uma das vozes mais representativas de um novo tipo de pensamento que tem urgência em surgir.

Krenak nasceu na região do Vale do Rio Doce, onde fica localizada a Terra Indígena Krenak. Justamente onde, em novembro de 2015, aconteceu o rompimento da barragem conhecida como Fundão (controlada pela empresa Samarco Mineração). Para ele, além da tragédia humana em si, morreu também um rio, o Rio Doce. Ele ainda continua a viver no local.

“Uma das figuras mais importantes na defesa do meio ambiente desde os anos 80, Ailton Krenak teve uma atuação determinante para as conquistas dos povos indígenas na Constituição em 1988. Pensador e escritor de livros como O Amanhã Não Está à Venda e Ideias para Adiar o Fim do Mundo, ele esteve entre os autores mais lidos de 2020.


Leia a entrevista na integra aqui

Fonte: Revista TRIP

Comentários

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on pinterest