Carpe Diem e a arte de viver

Carpe Diem e a arte de viver é uma eterna busca do ser humano por felicidade no aqui e agora.

A expressão Carpe Diem tem origem em um poema de Horácio, popularmente traduzida para “aproveite o dia”. Contudo, ao longo do tempo essa ideia foi interpretada de maneiras equivocadas, distorcendo a ideia original. Portanto, este texto tem o objetivo de ajudar o leitor a resgatar a sua essência e acrescentar outras contribuições.

O que é Carpe Diem

Carpe Diem, o poema.

Whitman, jornalista e poeta americano escreveu a seguinte versão de Carpe Diem. A leitura deste poema cria uma linha de conexão direta com a arte de aproveitar a vida. Prepare-se. Eu sugiro que respire fundo e deixe cada palavra penetrar no seu coração.

Aproveite o dia (Walt Whitman)

Walter Whitman (1819 – 1892).

Aproveite o dia,
Não deixes que termine sem teres crescido um pouco.
Sem teres sido feliz, sem teres alimentado teus sonhos.
Não te deixes vencer pelo desalento.
Não permitas que alguém te negue o direito de expressar-te, que é quase um dever.
Não abandones tua ânsia de fazer de tua vida algo extraordinário.
Não deixes de crer que as palavras e as poesias sim podem mudar o mundo.
Porque passe o que passar, nossa essência continuará intacta.
Somos seres humanos cheios de paixão.
A vida é deserto e oásis.
Nos derruba, nos lastima, nos ensina, nos converte em protagonistas de nossa própria história.
Ainda que o vento sopre contra, a poderosa obra continua, tu podes trocar uma estrofe.
Não deixes nunca de sonhar, porque só nos sonhos pode ser livre o homem.
Não caias no pior dos erros: o silêncio.
A maioria vive num silêncio espantoso. Não te resignes, e nem fujas.
Valorize a beleza das coisas simples, se pode fazer poesia bela, sobre as pequenas coisas.
Não atraiçoes tuas crenças.
Todos necessitamos de aceitação, mas não podemos remar contra nós mesmos.
Isso transforma a vida em um inferno.
Desfruta o pânico que provoca ter a vida toda a diante.
Procures vivê-la intensamente sem mediocridades.
Pensa que em ti está o futuro, e encara a tarefa com orgulho e sem medo.
Aprendes com quem pode ensinar-te as experiências daqueles que nos precederam.
Não permitas que a vida se passe sem teres vivido…

Carpe Diem: Resgatando a arte de aproveitar a vida

O meu primeiro contato com a palavra Carpe Diem, como deve ter sido para muitas pessoas, foi quando assisti o filme Sociedade dos Poetas Mortos. Desde então, essa ideia ganhou força em minha vida. Além disso, hoje percebo que o filme introduziu em mim a semente do minimalismo, mesmo antes de eu conhecê-lo.

Em 2018, tomei novamente contato com a ideia por meio da bela obra de Roman Krznaric, no livro Carpe diem: Resgatando a arte de aproveitar a vida. Que leitura fantástica, o meu queixo caía ao final de cada capítulo. Desde então, Roman tornou-se a minha referência na arte de escrever.

Segundo Roman:

O verdadeiro espírito do carpe diem foi sequestrado e corre o risco de desaparecer. Reduziram-no ao prazer instantâneo de uma compra em apenas um clique ou à ideia de viver o aqui e agora.

Além das contribuições de grandes pensadores, Roman também traz lições das vidas de praticantes pioneiros do lema: de anônimos a famosos, como David Bowie e Steve Jobs. Além disso, o autor teve a capacidade de criar um banco de dados consistente sobre a expressão e investiga as suas diversas aplicações nos dias de hoje.

Nós fomos graciosamente presenteados por essa obra prima. Todavia, para tirar proveito dela, precisamos lê-la atentamente e colocar em prático aquilo que nos faz sentido.

Entrevista à Revista Época

O autor concedeu uma entrevista sobre o livro para a Revista Época em 2018, respondendo treze perguntas. Inclusive, nesta entrevista é possível encontrar relações entre o Carpe Diem e o minimalismo. Entretanto, é preciso conhecer o mínimo sobre minimalismo para conseguir fazer isso.

O livro de Roman é leitura obrigatória para minimalistas ou simpatizantes do tema, pois estabelece uma relação direta com busca de como viver com mais leveza.

Podemos entender Carpe Diem como um manifesto à cultura de consumo que capturou a nossa liberdade. Por exemplo, não é possível sentir liberdade para aproveitar o dia se estamos sobrecarregados de coisas e compromissos que nos colocam no piloto automático. Da mesma forma, como ser livre carregando um monte de crenças limitantes que nos afastam do momento presente?

Para ser livre, livre-se!

Para ilustrar um antídoto contra o excesso, criei uma expressão simples e direta que tem me servido como um slogan em minhas palestras: “Para ser livre, livre-se!” Ou seja, livre-se do desnecessário, das escolhas erradas, das preocupações exageradas e quase doentias sobre o amanhã e da falsa ilusão de controle. Pois todas essas coisas, roubam o nosso tempo de vida e cegam o nosso poder de escolha.

Práticas Carpe Diem

Para viver o Carpe Diem, adotei algumas práticas simples no quotidiano. Por exemplo:

  • Gosto de meditar;
  • Caminhar junto à natureza;
  • Fechar os olhos enquanto bebo um copo d’água lentamente;
  • Ouvir a minha trilha sonora preferida enquanto trabalho;
  • Ler um bom livro;
  • Escrever um bom texto;
  • Tomar um café com um amigo;
  • Cantar no chuveiro etc.

Além dos exemplos acima, existem outras que me levam a um estado de Carpe Diem mais elevado. São elas:

  • Brincar com a minha cachorra;
  • Tocar uma música no violão (mesmo tocando e cantando mal);
  • Fotografar;
  • Criar;
  • Nadar;
  • E, é claro, viajar. Ah, como é bom viajar.

Considerações essenciais sobre o Carpe Diem

Todas as atividades que listei me colocam no que chamo estado Carpe Diem. Porém, cuidado, elas têm a ver como a minha vida. O que estou querendo dizer com isso é uma dica essencial: não tente viver o Carpe Diem dos outros. Ao invés disso, descubra o que lhe proporciona um estado Carpe Diem.

Descobri no minimalismo uma forma de viabilizar essas atividades. Por exemplo, adotei a prática minimalista de trocar coisas por experiências. Quiçá eu tivesse conhecido o minimalismo antes. Todavia, isso não deve ser motivo de lamentação. Pelo contrário, sou grato em tê-lo descoberto em tempo de mudar o resto da minha vida.

E você, o que te conduz ao estado de Carpe Diem? Se ainda não sabe, descubra o quanto antes e, aproveite a vida.

Texto de Gianini Ferreira.

Comentários

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on pinterest

CURSO

Estamos criando um curso para incentivá-lo nessa jornada. Faça parte da nossa lista exclusiva: